A Cidade no Tempo - de 12 a 20 de março

A Cidade no Tempo – de 12 a 20 de março

Publicado em 9/3/12 às 4h36
Publicidade

Março

12 – 1863 – Na sessão extraordinária deste dia o Presidente da Província ordenou que a Câmara mandasse verificar se o conserto da ponte estava conforme o contrato. A Câmara nomeou duas pessoas que entendiam do serviço para “observarem o exigido pelo governo”. O Sr. Presidente ordenou à Câmara que mandasse observar se o conserto da ponte do Paraíba estava conforme o contrato. Foi nomeada uma Comissão de duas pessoas ”que entendiam do serviço” para estas observarem o exigido pelo Governo e responderão depois de observarem que acharem conforme o contrato, e que a mesma resposta a Câmara remeta ao Exmo. Governo.


14 – 1862 – O Fiscal pede o ordenado do primeiro trimestre 91$250 o que foi ao procurador para pagar.
Obs. Muitos pagamentos dos servidores eram pagos trimestralmente.
15 – 1862 – Bento Joaquim da Costa requereu, apresentando procuração bastante de Marcelino Gerardes, para que a Câmara lhe pague a quantia de 2:000$000 que está vencido nas duas prestações, como consta do contrato. A Câmara mandou pagar a boca do cofre os dois contos de réis por saldo de contas, ficando por este modo a Câmara não lhe devendo quantia mais alguma.
Obs. Pagar na boca do cofre era pagamento no ato. O dinheiro era guardado num cofre na própria Câmara.
16 – 1870 – Em sessão presidida pelo vereador Abreo, foi lido o Relatório do Fiscal dizendo que é preciso consertar a ladeira da Rua Direita (Antonio Afonso), a chegar no largo da Quitanda (Largo Riachuelo);
17 – 1871 – Em sessão extraordinária presidida pelo padre Bueno é lido o Relatório do Fiscal: 4) Aterrar o Beco do Pastinho a sair no Bão Sucesso, que está intransitável, abrindo esgoto no lugar em que for possível. 5) Apedregular o aterrado da ponte. 6) Fazer um aterrado em frente da casa do Sr. Leocádio. 7) Consertar a guarda da ponte sobre o Paraíba
Obs. Os itens de 1 a 3 foram publicados em 11 de março de 2011
18 – 1870 – Em sessão ordinária foi lido um requerimento pedindo meias custas: Delegado de Polícia 19$700; Escrivão do Júri – 56$932; Dr. Francisco Julio de Freitas Albuquerque – 15$000; Promotor interino – Francisco Pinto de Magalhães -4$500; Juiz de Direito – 83$900. Foi a Comissão de Contas da Câmara.
Obs. As despesas judiciais eram pagas pelo município.
19 – 1870 — O Dr. Joaquim Floriano de Godoy apresentou sua Carta (diploma) de doutor em Medicina, dada e datada no Rio de Janeiro aos 20 de dezembro de 1852. A Câmara mandou por visto.
20 – 1868 – Na sessão extraordinária deste dia, “o senhor Custodio Moreira Porto oficiou à Câmara pedindo que ela nomeie uma Comissão para ir em sua casa atrás da Matriz para ver um conserto que ele quer fazer no oitão da casa a fim de não cair”. A Comissão da Câmara foi e constatou a necessidade do serviço.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade