A Cidade no Tempo (13/04/2012)

A Cidade no Tempo (13/04/2012)

Publicado em 16/4/12 às 12h57
Publicidade

Abril

2 – 1917 – A Câmara decide abrir concorrência pública para a realização de serviços na Estrada de Santa Isabel, reconstrução da ponte sobre o rio Paratey e melhoramentos na estrada de Santa Branca.
3l – 1871- Na sessão, a Comissão Permanente deu seu parecer sobre os requisitos de Pedro Fonseca Mello e Joaquim Bicudo de Moraes, dizendo que pedem terrenos construção de casa no aterrado da ponte do Paraíba. O parecer da comissão concluiu que a Câmara não deve dar. Posto a votação foi aprovado o parecer e indeferidos os requerimentos.
4 – 1803- Em carta desta data, o Governador Antônio José da Franca e Horta, repreende a Câmara de Jacareí, acerca de representações alheias ao interesse geral (separação e nomeação do novo comandante, que ele, governador, fizera praça a Vila de São José).
5 – 1918 – Pede a palavra ao vereador Antônio Jordão Mercadante e traz ao conhecimento da Câmara que “tendo se entendido juntamente com seus colegas srs. Roberto Martins e João Abilio da Costa, previamente designados pela Câmara para esse fim, com o sr. Pedro Eugênio Gueury, no sentido de demovê-lo de resignar o cargo de vereador, nada conseguiu, mantendo aquele senhor o seu ato de renúncia.” O presidente Raul Lopes Chaves, declara vago um lugar de vereador. Na mesma sessão presidente designa, e a Câmara, aprova o dia 1º de junho para a realização de eleição para preencher a vaga e determina que a eleição será no prédio do Grupo Escolar “Cel. Carlos Porto”.
6 –1863- Em sessão extraordinária, presidida por João da Costa Gomes Leitão, foi lida Circular do Governo, de 30 de Março, exigindo que a Câmara remeta com urgência o Balanço. A Câmara respondeu no teor seguinte: Em consequência da nova requisição de V. S. datada de 4 de março esta Câmara enviou ao Secretário da Assembleia Provincial o balanço exigido, isto em data de 12 de março.
9 – 1918 – Na sessão extraordinária, presidida por Raul Chaves, é lida uma proposta de Benedicto Manoel Pinto Ribeiro, proprietário e morador nesta cidade comprometendo-se a executar os serviços de consertos e variantes (atalhos da estrada de rodagem desta a Santa Isabel, 27 quilômetros mais ou menos, e construção da ponte sobre o rio Paraty (Parateí) denominado “Figueira”, na mesma estrada. Tudo de conformidade com o orçamento organizado pela Diretoria de Obras Públicas do Estado, pelo preço de RS 5.000$000 (cinco contos de réis). E para execução de tais serviços oferece as garantias que forem necessárias. Jacareí, 8 de abril de 1917; assina, Benedicto Manoel Pinto Ribeiro. O requerimento é acompanhado de recibo da Tesouraria Municipal de 600$000 (seiscentos mil reis).
Obs. O requerente foi um dos abolicionistas de Jacareí, que foi preso na ocasião do movimento. Em concorrência pública foi o vencedor para a realização da obra. Leia, acima, dia 2 de abril de 1917.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade