Normas Técnicas (Coluna do Consumidor)

Publicado em 14/10/11 às 2h43
Publicidade

O Brasil possui mais de seis milhões de microempresas e empresas de pequeno porte. O sistema jurídico protege as pequenas unidades e busca a desburocratização. Assim, desde 1999, elas desfrutam de tratamento legal favorecido em relação aos serviços de metrologia e certificação prestados por entidades públicas.

As normas técnicas são ferramentas de aprimoramento da qualidade de produtos e serviços oferecidos pelas fornecedoras no mercado de consumo, contribuindo para alargar o faturamento com práticas mais eficientes, econômicas e seguras.

O objetivo das normas técnicas são garantir a qualidade do produto, evitar acidentes e lesões no ambiente de trabalho, proteção da segurança e da saúde do consumidor, redução dos custos, aumento da produtividade e sua adequação às normas de exportação e importação exigidas pelos mercados internacionais.

Sem dúvida alguma, as normas técnicas agregam valor e confiança à marca trabalhada pelo fornecedor e oferecem mais possibilidade de fidelização da clientela. Não coincidentemente, são as empresas que mais investem em aquisição e prática de normas técnicas as que mais crescem no mercado de consumo.

Existem três tipos de normas técnicas: para produtos, sistemas de gestão ou perfis profissionais. Funcionam como uma garantia de qualidade para o consumidor, gerando maior segurança e confiança em alimentos e brinquedos, ofertando mais informações na embalagem e parâmetros de comparação entre o mesmo produto de marcas diferentes, preservando o meio ambiente e com um preço o mais reduzido possível. Portanto, todos devem ficar atentos e privilegiar as empresas normatizadas.

A instituição responsável pela elaboração e venda das normas técnicas brasileiras é a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, entidade sem fins lucrativos, representante oficial da ISO no Brasil. No embalo do tratamento legal privilegiado, as microempresas e empresas de pequeno porte têm desconto de um terço do preço normal e assessoria do SEBRAE para implantá-las.

Já o consumidor pode conhecer mais as normas técnicas existentes e fazer sugestões para a criação de outras novas, noendereço eletrônico www.abnt.org.br/consultanacional.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade