Por que o temor dos bancos e do governo em relação à Caderneta de Poupança?

Publicado em 2/4/12 às 4h38
Publicidade

Cada vez se torna mais próximo, com a diminuição da taxa básica de juros,a mudança do cálculo da Caderneta de Poupança que hoje é realizada em função da TR – Taxa Referencial que é a média ponderada das taxas dos CDBs negociados pelas 30 maiores instituições financeirase de um fator redutor que varia mensalmente. Historicamente,o rendimento da Poupança,ao pequeno investidor,ficaum pouco acima dos 6% ao ano, além de ser uma aplicação de fácil entendimento pela grande parte da população brasileira.
Possui a vantagem da segurança, em caso de quebra do banco no valor de até R$70 mil além da isenção de Imposto de Renda sobre os rendimentos e a facilidade de retirada em caso de emergência, por isso, o grande numerode poupadores sendo que em torno de 7.000 pessoas atualmente no Brasil possuem mais de 1 milhão de reais nesse tipo de aplicação financeira.

Para que possa entender melhor o que essa queda na taxa de juros significa para os bancos que administram milhares de reais em seus fundos de investimentos e para o governo veja o quadro abaixo:
Como a SELIC (taxa básica de juros) serve também de referencia para as aplicações em Renda Fixa e se a utilizarmos como teto para nossos cálculos, descontando o imposto de renda, menos a inflação teremos umaRentabilidade bruta de 3,79% ao ano. Agora, se o investidor possui uma taxa de administração em um Fundo de Renda Fixa, como a citada acima, de 2%o seu rendimento cai para1,79% ao ano contra 3% da Poupança (Poupança em 2011 – Meta de Inflação, ou seja, 7,5% – 4,5%).
Isso significa que com a queda da taxa de juros as pessoas passarãoa migrar massivamente para a Caderneta de Poupança ocasionando um prejuízo para os bancos que administram os Fundos de Renda Fixa compostos na sua maioria por títulos da dívida do governo que na prática auxiliam na manutenção e administração das contas públicas, daí o temor não só dos bancos, mas do governo que deverá realizar em breve uma mudança no atual calculo do rendimento da tradicional e sagrada Caderneta de Poupança.

Rogério Nakata é Planejador Financeiro Certificado pelo IBCPF – Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros, Embaixador CFP®, Agente Autônomo de Investimentos pela CVM ( Comissão de Valores Mobiliários) e Palestrante sobre os temas Educação Financeira e Planejamento Financeiro de grande organizações em todo o Brasil.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade