Opinião de 28 de Novembro de 2014

Publicado em 28/11/14 às 11h38
Publicidade

Malandragem
Uma das posturas popularmente conhecidas do sujeito canastrão, do malandro, é: mesmo sabendo que fez besteira se fazer de vítima a ponto de fazer com que a vítima de fato se sinta culpada. E este foi, basicamente, o saldo da audiência pública realizada na sexta-feira passada com o Secretário da Saúde sobre a situação da Santa Casa, que escandaliza a população. O cidadão, que foi até lá, enquanto vítima, cobrar a Administração Municipal, só faltou sair pedindo desculpas por ter reclamado todo este tempo. É o cidadão que não participa das audiências de prestação de contas, é o cidadão que não sabe avaliar que o hospital vive uma “situação privilegiada” e reclama de barriga cheia. É o cidadão que vai continuar se estrupiando quando precisar de atendimento digno.

Culpados
É tipo aquele argumento pesado que muitos pais utilizam com crianças para que não desperdicem comida: “tem muita criança passando fome na África”. Não! O nosso hospital é problema nosso, nossa prefeitura possui a vantagem de estar sob o mesmo grupo de interesse político enraizado no Executivo Federal. Em nossa visão, o que falta é gestão e coragem.

Parados
Para atestar nossa opinião, basta tomar como exemplo uma das obras inconclusas da cidade: a reforma do Mercado Municipal, ou o Pronto-Socorro Municipal que ficou parado quase um ano e, espera-se que agora vá pra frente.

Jogada
Como já era de se esperar, tudo foi muito bem feito e orquestrado para continuar a estratégia de amansar o cidadão diante dos ímpetos déspotas dos operadores do Governo. Trata-se de uma técnica há muito denunciada por este periódico: o partido que se apoderou do país tem que fazer parecer que seus mandos, sob seu comando, são “do bem”, mas se sob o comando dos opositores, são “do mal”.

A gente pode
Basta ver o que está acontecendo neste exato momento. Muito do que condenou na proposta de Aécio, Dilma está fazendo: reduziu influência do BNDES, vai descer imposto na classe média (um arrocho conveniente), quer engambelar o congresso para não ter que cumprir a meta fiscal (e para isso, negocia cargos com aliados vergonhosamente) e está para indicar equipe econômica do agrado dos ricos, ou do Mercado. É o que desanima na política do PT. Utilizar-se de ma fé na campanha eleitoral, ou até mesmo de terrorismo até que, garantida a vitória, sente-se Rei, mesmo que tenha que ficar com o rabo preso até a espinha.

Novela
E parece que o final da novela dos superssalários dos vereadores deverá culminar mesmo perto das eleições de 2016, para azar dos legisladores da cidade. Com o recurso contra o cancelamento dos aumentos aceito, voltam a ganhar bastante dinheiro. Mas a questão no judiciário ainda está longe de ser concluída, e deverá ser encerrada apenas nas mãos do STF. É prudente que guardem o salário a mais que receberem, pois as chances de terem que devolver ainda existem.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade