Funcionários da General Motors entram em greve contra demissões

Publicado em 11/8/15 às 11h55
Publicidade

Os metalúrgicos da General Motors de São José dos Campos entraram em greve por tempo indeterminado, na segunda-feira, dia 10, exigindo a abertura de negociações e reversão das demissões realizadas pela fábrica no final de semana.

A assembleia organizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, reuniu pelo menos 4 mil metalúrgicos do primeiro e terceiros turnos, dando início à luta pela reversão das demissões e por estabilidade no emprego. No sábado, dia 8, trabalhadores da montadora foram avisados, por telegrama, que estavam demitidos. Até agora a GM não informou qual o número de demissões, mas no domingo, cerca de 250 pessoas participaram da assembleia dos demitidos convocada pelo Sindicato.

Como um ato simbólico, um grupo de trabalhadores rasgou e queimou alguns telegramas de demissão, logo após a assembleia de hoje. No domingo, o Sindicato já havia orientado esses trabalhadores a desconsiderarem o telegrama e não realizarem o exame demissional convocado pela GM.

Pressão ao governo federal – Além de cobrar da GM a abertura de negociação, o Sindicato vai pressionar o governo federal para que tome medidas imediatas pela reversão das demissões. Os metalúrgicos reivindicam que a presidente Dilma assine uma medida provisória que garanta estabilidade no emprego para todos os trabalhadores do país. Lutam também pela redução da jornada para 36 horas sem redução de salário, proibição da remessa de lucros para o exterior e estatização das empresas que demitirem.

PPE – O Sindicato reforça que é contrário ao Programa de Proteção ao Emprego (PPE), já que essa medida reduz salários e não evita demissões. O PPE foi criado pelo governo Dilma com o apoio das centrais sindicais CUT e Força Sindical.

Lay-off – Os 750 trabalhadores da GM que estavam no lay-off iniciado em março retornariam à fábrica nesta segunda-feira, mas também aderiram à greve. A princípio, eles não devem estar na lista dos demitidos, porque têm estabilidade garantida pelo acordo assinado entre GM e Sindicato.

A GM de São José dos Campos possui cerca de 5.200 trabalhadores e produz os veículos S10 e Trailblazer, além de motores, transmissão e kits para exportação.

1

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade