Arrocha Para o Futuro – Opinião de 23/10/2015 (Parte 1)

Publicado em 22/10/15 às 8h00
Publicidade

Os vereadores do prefeito de Jacareí aproveitaram o dia em que Marty McFly chegou ao futuro, 21 de outubro de 2015, e promoveram um evento especial. Pegaram o DeLorean emprestado, foram para o futuro, e lá anteviram: depois que Hamilton começou a cobrar a taxa de iluminação pública, abriu três licitações corretíssimas, as empresas começaram a prestar um serviço excelente e garantiram que Jacareí tivesse luz até no meio do mato. Sabendo disso, voltaram e aprovaram na própria quarta-feira a lei que institui a cobrança.

Bem, obviamente ninguém fez qualquer viagem temporal, porém esta parece a lógica de quem aprova uma lei sem a mínima fagulha de aceitação popular: têm certeza que o arrocho, lá na frente, retornará em benefício, porque o prefeito é de qualidade cem por cento. Aliás, que Legislativo precisa da opinião do povo hoje em dia? Tem que ter muita confiança no gestor para colocar o pescoço a risco desse jeito. Sim, porque os cidadãos estão furiosos com a nova taxa, no contexto de aumento de preços e impostos por todos os lados. Deixe uma lâmpada queimar no ano que vem pra ver se ganha voto!

 Publicidade Relacionada:

Ainda mais porque a gestão petista em Jacareí vem mostrando tropeços estarrecedores quanto ao uso do dinheiro público – note-se a reversão da cobrança de asfalto no Jardim Paraíso e outros bairros, e a lambança da atualização do valor do IPTU feita aparentemente na base do Google Maps. É esta gestão (que também contratou uma empresa no começo do ano para cuidar da iluminação pública para depois ver que não deu certo) que vai abraçar mais de R$800mil mensais do bolso do cidadão, para, através de três empresas fazer uma gestão certamente maravilhosa de postes, fios e lâmpadas.

O padrão “arrocha para o futuro” tem sido seguido em Brasília também, apesar de a promessa eleitoral ter sido outra, e de os programas sociais estarem sendo mantidos a duras penas. Na nossa trôpega república, o jogo político, que era para ser secundário e servo dos Poderes, passou a ser Senhor ao qual as instituições servem.

Charge Vereadores Jacareí

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade