Folia modesta – Opinião de 12/02/2016

Publicado em 12/2/16 às 4h58
Publicidade

A folia do Carnaval 2016 em Jacareí foi modesta, porém autêntica. Intimista, porém cheia de sentido. Longe das passarelas, que já há anos não brilham na folia jacareiense, cada qual com seu bloco, sua matinê, seu churrasco ou festança fez valer a tradicional pausa de início de ano para relaxar.

Nem todos os blocos, porém, foram capazes de “arrebanhar” foliões o suficiente para que se diga que Jacareí está crescendo em tradição de folia de blocos. O destaque vai para atividades em bairro que envolveram a comunidade em concentrações fixas – fato a ser observado. O Carnaval no Brasil nasce no seio das comunidades, da congregação de pessoas, em geral moradores de um local geográfico comum, que manifestam sua expressão cultural festiva durante tal festa.

E Jacareí, que possui uma identidade cultural mista, possuindo muitos bairros com características próprias, poderia ganhar um projeto cultural carnavalesco neste sentido – o que provavelmente faria valer bem mais o dinheiro público investido, mesmo que modestamente, na folia (tendência de investimento que deve seguir no ano que vem).

Chegou!
Bem, acabou o Carnaval, e fevereiro oficialmente está aí. É a hora prevista para o início da cobrança da polêmica Contribuição de Iluminação Pública. É agora que vamos ver qual era o jogo por trás de mais um arrocho no bolso do trabalhador. E, mais do que nunca, é hora de cidadãos saírem de sua zona de conforto e fazerem o que, infelizmente, não é feito com eficiência pela Câmara Municipal: fiscalizar e confrontar o Poder Executivo.

O Semanário está com as portas abertas, os telefones ligados, e as mídias sociais ativas para que você continue denunciando vielas escuras, postes acesos durante o dia e outros absurdos do tipo. Já temos recebido diversas ligações de cidadãos em geral indignados, já prevendo que o pagamento que farão, chorando, da nova taxa não surtirá efeito. É o que todos estão pagando (literalmente) para ver. Mais de R$800mil por mês entrarão “limpos” nos caixas da Prefeitura para o investimento em iluminação pública.

A nova cobrança coloca uma “faca no pescoço” da Prefeitura, e um dedo ardente no eleitor de seu (por enquanto pré) candidato de aluguel – o secretário Emerson (PSD). Mexeu com o dinheiro do povo, a sentença das urnas (ao menos boa parte dela) está nas mãos da eficiência – já pouca – da gestão de recursos da Prefeitura feita sobre a Contribuição de Iluminação Pública.

Foto do Destaque: Freeimages.com

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade