Venda de áreas do Estado pode ser votada só em 2017; ETEC pode ser retirada do projeto

Publicado em 23/6/16 às 5h00
Publicidade

Após circularem rumores de que estava definida a remoção da área da ETEC Cônego José Bento (Escola Agrícola) de um projeto de lei do governador Geraldo Alckmin (PSDB) que pretende alienar para venda áreas do Estado com pouco uso, o Semanário procurou a assessoria do deputado Hélio Nishimoto, do mesmo partido.

A assessoria informou que, de fato, a possibilidade de a área de Jacareí ser retirada é bastante “tangível”, mas não há nenhuma ação concreta (como a inclusão de emendas) para que isso aconteça. O gabinete de Nishimoto informou, ainda, que “é possível que o projeto só seja votado no ano que vem”, e que o deputado está atuando com força para influenciar os colegas pela remoção da área, que compreende cerca de 300mil metros quadrados, do projeto de lei. A assessoria do deputado não informou os motivos porque a o projeto pode ser atrasado.

História – Em abril, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, enviou à Assembleia Legislativa na semana passada um projeto de lei para autorizar a alienação de áreas do Estado consideradas inativas ou de pouco uso, para que possam ser vendidas e, assim, obter recursos para “mitigar a crise fiscal e a perda de arrecadação decorrentes do atual cenário macroeconômico vigente”.

Desde então, uma corrente de pessoas indignadas, políticos e grupos organizados vêm se manifestando, através de abaixo-assinados e visitas à Assembleia Legislativa para contrapôr a inclusão da área da Escola Agrícola de Jacareí, que é considerada um patrimônio ecológico da cidade.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade