Câmara arquiva denúncia de cobrança de dízimo contra vereador Fernando da Ótica por falta de provas

Publicado em 27/7/17 às 5h18
Publicidade

A Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Casa, da Câmara Municipal de Jacareí, decidiu arquivar a denúncia contra o vereador Fernando Ramos, o Fernando da Ótica (PSC), por suposta cobrança de um ‘dízimo’ de seus assessores durante seu primeiro mandato.

Foram instaurados dois procedimentos administrativos para apurar as supostas infrações cometidas por Fernando. De acordo com o presidente da Comissão, o vereador Rodrigo Salomon (PSDB), “não foram apresentadas provas materiais que pudessem comprovar a denúncia”.

Durante a investigação, o vereador Abner Madureira, autor das denúncias da cobrança de dízimo, não apresentou provas documentais que comprovassem a cobrança do valor indevido. Já o vereador Fernando apresentou seis testemunhas que trabalham ou trabalharam para ele como assessores, negando o pagamento da referida quantia.

A Comissão alega que pela falta de provas, optou por arquivar o procedimento. “Não significa absolvição, apenas que não há provas suficientes para comprovar que houve quebra de decoro por parte vereador”, comentou Salomon.

O Semanário de Jacareí entrou em contato com os vereadores Abner Madureira e Fernando da Ótica para eles comentarem o caso, mas não tivemos retorno até o fechamento desta edição.

Caso – Durante a sessão da Câmara do dia 10 de maio, o vereador Fernando da Ótica (PSC) foi acusado pelo vereador Abner de Madureira (PR) pela suposta cobrança de um “dízimo” de seus assessores no curso de seu primeiro mandato na Câmara Municipal. Segundo Abner, o repasse servia como “fundo de campanha”.

Abner fez as acusações pois ele já foi chefe de gabinete de Fernando da Ótica no período de 02 de janeiro de 2013 a 14 de setembro do mesmo ano. De acordo com o vereador, Fernando da Ótica chegava a cobrar 10% dos vencimentos mensais de cada assessor.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade