Faltando um mês para votação, ministros defendem reforma da Previdência

Publicado em 16/1/18 às 4h27
Publicidade

A votação da reforma da Previdência está marcada para o dia 19 de fevereiro. A equipe econômica do presidente Michel Temer trabalha para garantir votos favoráveis de deputados e senadores com o argumento de que as mudanças nas regras de aposentadoria são essenciais para o equilíbrio das contas públicas.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que a aprovação da reforma vai garantir que as metas de déficit primário e do teto de gastos sejam cumpridas pelo governo nos próximos anos e defendeu a urgência da votação. “Evidentemente, a prioridade é resolver a situação fiscal do País, que é concretizada por uma votação da maior importância, que é a reforma da Previdência. Esse é o ponto fundamental, esse é o nosso foco de atenção, essa é a nossa prioridade: votar a reforma da Previdência”, defendeu o ministro.

O ministro do Planejamento, Dyogo de Oliveira, comentou sobre as despesas do governo e os problemas futuros que o Brasil enfrentará, caso a reforma da Previdência não seja aprovada este ano. “Nós temos tido dificuldades com essa regra nos últimos dois anos e teremos nos próximos anos. A pergunta é: por que o governo está tendo dificuldade com esta regra? Pelo fato de que os déficits que nós temos tido nos últimos anos, são déficits criados pela despesa de custeio. Particularmente, despesa da Previdência”, finaliza Oliveira.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade