Estudos revelam que privação do sono afeta o cérebro e a personalidade

Publicado em 14/2/18 às 5h52
Publicidade

Segundo estimativa da Associação Brasileira do Sono, cerca de 73 milhões de brasileiros não conseguem dormir a quantidade ideal de horas necessárias. Os Especialistas recomendam dormir de 7 a 8 horas por dia, mas algumas pessoas não conseguem dormir por essas horas e a falta de sono pode afetar o organismo, alterar a parte emocional do cérebro, capacidade de aprender e habilidades de tomar decisões.

Quem dorme menos acaba adquirindo estresse e tendo emoções mais negativas. A depressão também faz parte da Privação do Sono. Isso acontece porque as amídalas cerebelosas, neurônios responsáveis pelos sentimentos e emoções, se desconectam do córtex pré-frontal, responsável por “frear” as reações emocionais e, torna as emoções negativas mais frequentes.

Pesquisadores da Duke University estudaram os efeitos da privação do sono nas preferências econômicas de jovens adultos. Os participantes realizaram tarefas que envolviam apostas e os pesquisadores constataram que a falta de sono tornava as pessoas mais otimistas, acreditando que as consequências positivas (ganhos) eram mais prováveis que as negativas (perdas). Enquanto a pesquisa fala apenas do financeiro, é possível que a privação de sono afete nosso juízo em outros aspectos também.

Ficar 24 horas sem dormir pode gerar sintomas muito parecidos com os de psicose e esquizofrenia. A memória também é prejudicada pela privação do sono. Isso acontece porque a falta de sono afeta diretamente o hipocampo, parte do cérebro responsável pelo armazenamento de novas memórias.

Uma noite mal dormida pode provocar acidentes nas estradas, isso porque a sonolência retarda os reflexos tanto quanto o álcool, causando reações lentas.

A longo prazo, dormir menos que o suficiente pode aumentar os riscos de desenvolver doenças crônicas como diabetes, hipertensão, AVC e doenças cardiovasculares. Há estudos que mostram que a privação do sono está relacionada a um aumento na vontade de comer doces e outros alimentos ricos em carboidratos. O gasto energético de pessoas que dormem menos também é menor.

A saúde da pele também é afetada com olheiras, aparecimento de linhas finas na região dos olhos e pele sem brilho. Devido à falta de sono, o corpo libera mais cortisol que, em quantidades excessivas, pode quebrar o colágeno da pele.

Os efeitos da privação do sono são mais prejudiciais do que se imagina. Existem diversas doenças e condições que podem provocar a falta de sono ou sono de má qualidade, como a insônia, depressão e a apneia noturna. Quem tem problemas para dormir durante a noite, precisa consultar um médico.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade