Construção de terceira ponte terá desapropriações e levanta questionamentos

Publicado em 5/4/18 às 4h05
Publicidade

Na quinta-feira, dia 29, a Prefeitura de Jacareí publicou no Boletim Oficial do Município o decreto de desapropriações dos terrenos para a implantação do sistema viário entre a Humberto de Alencar Castelo Branco e Avenida Malek Assad para a construção da terceira ponte de Jacareí.

Foi necessário declarar seis áreas de utilidade pública, duas no bairro Rio Abaixo, uma com 621,03 metros quadrados e outra de 1.852,71 metros quadrados; outra de 8.934,77 metros quadrados; outras três áreas no Prolongamento do Jardim Santa Maria, uma de 525,91 metros quadrados, duas com 3.008,75 metros quadrados e outra com 131,64 metros quadrados.

Em nota, o secretário de Governo, Celso Florêncio explicou sobre o local em que a terceira ponte será construída. “Hoje, existe um grande fluxo de pessoas que moram entre a Dutra (na altura da avenida Getúlio Vargas) e o centro da cidade e que se deslocam diariamente para trabalhar nas avenidas Humberto de Alencar Castelo Branco, Industrial e Biagino Chiaffi, as quais, obrigatoriamente, utilizam as pontes do São João e Jardim Flórida”, explica o secretário.

A Secretaria de Governo informou ainda que este decreto complementa a área total do projeto de construção da terceira ponte, que criará um corredor viário, com valor previsto de R$ 20 milhões. Será construído um trevo que sairá do local onde fica localizada a Secretaria de Mobilidade, entre as avenidas Adhemar de Barros e a Malek Assad, com uma via que avançará pelo terreno doado da Escola Agrícola, seguirá margeando o Rio Paraíba e vai cruzar pela ponte, na altura da Cervejaria Heineken, na Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco. As obras estão previstas para ficarem prontas entre 2019 e 2020.

“A ponte passará a ser uma alternativa de conexão entre os bairros das duas margens do rio Paraíba, fato que vai desafogar o trânsito também. Lembrando, ainda, que será uma via moderna, com ciclovia e que irá possibilitar outros modais de transporte”, finaliza Florêncio.

Comentários

Deixe um comentário

Publicidade