Opinião – 8/10/2015

Publicado em 8/10/15 às 7h23
Publicidade

Lei justa
A Câmara municipal aprovou uma lei, que ainda precisa ser sancionada, que impõe multa aos cidadãos que utilizarem água potável para lavar a calçada. Muito bem, ótima iniciativa, pois obriga o uso racional do bem mais precioso do planeta, e assim, causa economia. Obrigatoriamente coloca o cidadão na posição de responsável pelo meio ambiente.

Justa lei
Ok, além desta lei, o Legislativo tem demonstrado esforços para contenção de gastos diante da crise econômica do País. Falta apenas  os vereadores darem o exemplo de uso racional do dinheiro do povo e colocar em pauta a redução pela metade no salário dos legisladores, a exemplo de vários municípios brasileiros. Que tal? Quem se habilita? Quem será o corajoso e coerente que levantará esta bandeira, que certamente será “co-hasteada” pelo povo?

Evolução
O pensamento rasteiro na política tem cada vez menos espaço. As picuinhas, as barganhas, o troca-troca – que não são incomum até mesmo em nível nacional – já não são mais posturas toleradas pelo cidadão. É apenas questão de tempo para que as engrenagens deste sistema caiam em falência definitiva.

Culpas
Parte deste pensamento medíocre é o empurra-empurra de responsabilidades quando há partidos divergentes nas instâncias que deveriam cooperar. É o caso de São Paulo versus Jacareí, em dramas como o já citado na semana passada da obra de ampliação do Fórum.

Ranço
Vale notar nesta semana, porém, que ficou exposto o ranço improdutivo do petismo jacareiense em culpar sem equilíbrio o Estado pelos problemas da Santa Casa da cidade, como estratégia para desviar o foco da responsabilidade do Município sobre a entidade. Presidente da Câmara fez coro regido pelo ex-prefeito e ex-deputado Marco Aurélio, do “é culpa do Estado”, ao divulgar ocasião de reunião, em Jacareí, de CPI estadual que investiga gestões de Santas Casas em São Paulo.

Equilíbrio
Acontece que o relator da CPI veio trazer justamente o equilíbrio na análise de responsabilidades, apontando o que está por trás das contenções ou injeções de recursos da Secretaria de Saúde do Estado sobre os hospitais. Para o leitor atento, que não se deixa influenciar apenas por discursos repetitivos e unilaterais, a fala do deputado foi enriquecedora (confira matéria nesta edição) – e ficou feio para o discurso petista, que pode ser abandonado, a bem da honestidade ideológica.

Desvantagens
O cuidado com a honestidade e transparência nas informações é fundamental nesta época em que a disputa eleitoral já se mostra, e se mostra aguerrida como nunca. Entre idas e vindas de membros de partido e realização de reuniões, há uma ânsia em plantar informações e simular vantagens políticas. É por este esforço de transparência que o Semanário publica esta semana uma errata a respeito do apoio (não firmado) do PV ao PSDB, noticiado erradamente por este periódico na semana passada, baseado em uma informação enganosa fornecida pela direção do partido tucano.

 

Comentários

  1. ™Reh

    O ticket refeição dos funcionarios foi cortado em Jacareí, sempre começa pelo mais fraco. Os vereadores deveriam mostrar um pouco de ombridade e diminuir ao menos 30% dos salarios. Enxugarem sua maquina que é penosa e onerosa á cidade.

    responder

Deixe um comentário

Publicidade